Especial 2 Anos da TVT

HOJE TEM ESPECIAL DE 2 ANOS DA TELEVISÃO DOS TRABALHADORES

O primeiro canal de TV do Brasil a ser concedido aos trabalhadores é fruto de anos de lutas pelo direito a comunicação no país, marcou história na retomada democrática e ainda marca na luta pelos direitos de expressar opinião, denunciar injustiças e interferir na realidade.
A TVT é uma das ilhotas em meio a grande mídia, em especial no Grande ABC, e mantém estreitos laços com o movimento social, característica admirável que resiste pelo alcance e conquista do bem comum.

O Coletivo Cinestésicos vem parabenizar, especialmente por já havermos transmitidos vídeos tanto vídeos colaborativos como autorais no canal, como também por sermos um grupo essencialmente da região do ABC e termos realizado ali realizado junto com a rede Coletivo de Vídeo Popular um espaço para a exibição dos vídeos independentes e de luta social de SP e companheiros de tantas outras regiões no programa Circuito de Vídeo Popular.

Indo pela contra mão das atuais privatizações inconseqüentes que vem acontecendo em São Paulo quando instituições públicas de comunicação são vendidas, a TVT caminha para o crescimento (bem como toda Rede Brasil Atual) indo por um caminho de independência cerebral e política apesar de sua origem, sem atrelar-se a governos apesar de sua origem sindical, mas expressando livremente sua posição e opinião e colocando em primeiro lugar o trabalhador, o que permite condecoramos ela hoje, em seus 2 anos de vida, como sendo uma verdadeira ferramenta a serviço do povo, e devemos lutar para que ela evolua e permaneça assim.

Assista em www.tvt.org.br

Onde assistir a TVT
evento no Facebook

Deixe um comentário

Arquivado em audiovisual, cinestésicos, coletivo, comunicação, luta, movimento social, televisão, TVT, vídeo popular

Eles Não Usam Black-Tie

Dirigido por Leon Hirszman (ABC da Greve, 5x Favela) Eles não usam black-tie é um filme brasileiro de 1981, que faz um retrato da classe operária de 80 em suas relações cotidianas de trabalho, luta social, pobreza, greves e ralações humanas.
Na trama, durante a Ditadura Militar, Tião, um operário vive um romance com Maria, que também trabalha como operária quando se percebe grávida. Tião então passa a furar a greve onde seu pai Otávio, operário na mesma fabrica e ex-preso político em liberdade, também participa da organização do movimento, gerando um conflito familiar que se estende para os piquetes em uma greve mal planejada.

Fotografia de uma época dura do Brasil, o filme destrinça sobretudo com sutil força, a vida sob a autoridade imposta por patrões, governo ditatorial e capital, contra a tentativa de liberdade e de consciência que tenta espaço numa sociedade onde o medo já prevalece sobre as idéias. As diferenças ideológicas e práticas, a confusão social da fome e sede de justiça que se forma por entre a ignorância prática dos trabalhadores e do povo, se embrulha no contexto de necessidade, coragem e luta pela vida.

Um excelente filme que conta um pedaço importante da nossa história com um roteiro genial baseado na grande peça de mesmo nome escrita pelo ator e dramaturgo Gianfrancesco Guarnieri (Mundo da Lua, O Grande Momento).

Mais uma projeção para se fazer nas salas de aulas e espaços de cultura e pensamento. O filme ainda arreganhou o Festival de Veneza (1981), Festival de Havana (1981),  Troféu APCA (1982)  da Associação Paulista de Críticos de Arte, Brasil.

Deixe um comentário

Arquivado em arte, audiovisual, cinestésicos, coletivo, filme, sinestésicos, sinestesia, vídeo popular

Circuito de Vídeo Popular completa 1 ano

Programa Circuito de Vídeo Popular Especial de 01 ano.

 

Este sábado vai ao ar na TVT o programa que comemora 01 ano de Circuito de Vídeo Popular.

O programa é uma parceria entre o Coletivo de Vídeo Popular de São Paulo e a TVT que a doze meses exibe vídeos populares, anticapitalistas e independentes.

Para quem ainda não viu, vamos realizar uma retrospectiva de todos os vídeos e coletivos que já integraram essa ação.

Confira também depoimentos de diversos coletivos que construíram essa historia.

E como a data é especial quatro coletivos realizaram vídeos para o programa, assista:

–       Entreguerras, do FELCO.

–       Natureza Morta, Pinheirinho, do Coletivo de Comunicadores Populares de Campinas.

–       Vídeo manifesto da Brigada de Audiovisual da Via Campesina.

–       Morta e Vida Hierofante, da Estudo de Cena.

Quando?

Sábado dia 26 de maio as 16hs.

Onde?

TVT – Tevê dos Trabalhadores.

Como?

No site: www.tvt.org.br ou no canal 46 para Suzano e Mogi das Cruzes.


                                  Veja, participe, prestigie, lute! 

Deixe um comentário

Arquivado em arte, audiovisual, cinestésicos, coletivo, sinestésicos, sinestesia, vídeo popular

Richard Stallman, fundador do Movimento Software Livre, fará palestra sobre Patentes no CCSL-USP

http://ccsl.ime.usp.br/pt-br/news/12/05/23/richard-stallman-fundador-do-movimento-software-livre-fara-palestra-no-ccsl-usp

Nesta sexta-feira, o CCSL-USP receberá a visita de Richard Matthew Stallman, no IME-USP. Uma oportunidade de conhecermos melhor o Fundador do Movimento Software Livre, do Projeto GNU e da Free Software Fundation (FSF). Stallman consolidou o conceito de “copyleft” ao escrever a Licença Pública Geral GNU (GNU/GPL), a licença livre mais usada no mundo. Desde 1990, ele dedica a maior parte do seu tempo como ativista político, defendendo o software livre e lutando contra as patentes de software.

Dessa forma, o CCSL-USP tem o prazer de convidar todos para a palestra desse grande nome da história da computação que ocorrerá nesta sexta-feira às 16h. Dando continuidade às discussões atualmente em andamento sobre as patentes de software no Brasil, Stallman apresentará sua visão sobre o tema. Quem já assistiu alguma de suas palestras sabe que ele, além de excelente orador, tem pontos de vista muito bem embasados e focados no interesse coletivo; quem nunca assistiu não pode perder essa oportunidade!

A palestra será em inglês, mas vale observar que Stallman fala pausadamente e com pronúncia claríssima.


O Que? Palestra do Richard Stallman sobre patentes de software.

Quem? Isso mesmo: Richard Stallman!

Quando? 25 de maio de 2012, sexta-feira, das 16h as 18h.

Onde? Instituto de Matemática e Estatística da USP, sala B-10 (Rua do Matão, 1010 – bloco B – Cidade Universitária, São Paulo).

Como? Gratuito (100 lugares), sem necessidade de inscrição.

Por que? Um dos maiores nomes da computação das últimas décadas falando sobre um tema atualmente em debate no Brasil.


Título: The Danger of Software Patents

Resumo: Richard Stallman will explain how software patents obstruct software development.  Software patents are patents that cover software ideas.  They restrict the development of software, so that every design decision brings a risk of getting sued. Patents in other fields restrict factories, but software patents restrict every computer user. Economic research shows that they even retard progress.

Sobre o palestrante: Dr. Richard Stallman launched the free software movement in 1983 and started the development of the GNU operating system (see www.gnu.org) in 1984. GNU is free software: everyone has the freedom to copy it and redistribute it, with or without changes.  The GNU/Linux system, basically the GNU operating system with Linux added, is used on tens of millions of computers today.  Stallman has received the ACM Grace Hopper Award, a MacArthur Foundation fellowship, the Electronic Frontier Foundation’s Pioneer Award, and the the Takeda Award for Social/Economic Betterment, as well as several honorary doctorates.


Nota para a Imprensa (press release)

Richard Stallman, uma dos maiores nomes da computação das últimas décadas, estará em São Paulo nesta sexta-feira para discutir a ameaça à inovação brasileira no mercado de software representada pelo mecanismo de patentes atualmente em discussão.

A despeito da proibição legal, o INPI tem concedido patentes de software no Brasil há anos. Com a recente consulta pública do órgão a respeito, iniciou-se um debate sobre a pertinência dessas patentes no país. Stallman, em coro com boa parte dos pesquisadores e empreendedores em software, tem atacado essas patentes como um retrocesso no campo da computação. Nesta palestra, ele mostrará como as patentes de software obstruem o trabalho do programador. Segundo ele, patentes desse tipo cobrem ideias e restringem o desenvolvimento do software, de maneira que cada decisão traz consigo o risco de um processo judicial. Além disso, pesquisas econômicas mostram que elas têm efeito negativo sobre o progresso da técnica.

Stallman fundou, em 1983, o Movimento Software Livre e iniciou o Projeto GNU e a Free Software Fundation (FSF) em 1984. Também consolidou o conceito de “copyleft” ao escrever a Licença Pública Geral GNU (GNU GPL), a licença livre mais usada no mundo. Stallman recebeu vários prêmios internacionais e doutorados honorários, como o prêmio Grace Hopper da ACM e o prêmio de pioneirismo da Electronic Frontier Foundation. Desde 1990, ele dedica a maior parte do seu tempo como ativista político, defendendo o software livre e lutando contra as patentes de software.

Deixe um comentário

Arquivado em audiovisual

O povo já vetou… você só tem que assinar.

Deixe um comentário

por | 08/05/2012 · 00:51

El EMPLEO / o emprego

Está é uma excelente animação argentina, critica sutil e forte a sociedade do Trabalho.

A forma como os seres objetos perdem a vida, e perdem-se nos seus caminhos cotidianos, quase engaiolados num ir-e-vir de um fluxo que não tem mais sentido, mas que por força da inercia nos mantém no mesmo caminho de sobrevida.

O curta de 2008, com uma intelectualidade genial que quase é escondida pela simplicidade da ideia, ganhou mais de 100 prêmios internacionais e consonante com seu potencial transformador e de carácter popular, por sua linguagem mais do que nítida e simples, atinge no profundo das artérias do sistema em que vivemos e alimentamos enquanto perdemos nossa existência nas máquinas (vivas e mortas) que são alimentadas por nós.

Muito bom para a ingressar na lista de filmes e curtas para exibição nos cineclubes, debates, salas de aulas, e outros espaços para assim ajudar a proporcionar reflexão e ação.

O emprego.

1 comentário

Arquivado em audiovisual

Livros a Solta!

Livros a Solta!

Onde já se viu!? Heim!?
Esse governo e essa polícia está cada vez mais irresponsável!!!
Deixando livros a solta por ai (+_+).

Deixe um comentário

por | 24/04/2012 · 00:51